quinta-feira, 16 de agosto de 2012

Minha avó, abuella querida...

Minha vó Arcanja, se tivesses conosco hoje completaria 99 anos, sou a menina ao seu lado e do outro minha irmã , ambas já vivem em outro andar! 
Esses dias meu coração se encheu de nostalgia e ao vasculhar minhas coisas encontrei essa foto e principalmente os bilros.
Como já contei aqui no meu blog esses bilros herdei da minha vó,mas, me foram dados pela sua irmã Chiquinha que também já habita o andar de cima... minha vó e minha tia eram rendeiras, são da região da Chapada Diamantina na Bahia e conforme relatos da minha mãe minha avó além de costurar , fazer renda, também era ceramista e ótima cozinheira...mas olha só..ela teve uma vida difícil assim como todos daquela época!Cresceu em uma fazenda onde não tinha acesso à escola e o dia que chegou uma professora seu pai disse-"só  os filhos irão aprender as mulheres não vão precisar", com isso passou parte da vida sem aprender a ler e escrever...(isso ela mesma me contou)esse seu pai, meu bisavô, foi tentar a vida no garimpo e morreu soterrado; com 18 anos casou com meu avô José Brandão, que era viúvo e já um homem mais velho...de uns 40 anos, mas as lembranças que minha mãe tem dele era de um homem muito carinhoso e inteligente, alfabetizou minha avó , fez esses bilros acima como presente pra ela, eles são de uma precisão... tocava e confeccionava instrumentos de corda, violino- rabeca, violão...tocava logo cedo esperando o pão assar no forno...isso lá pelos idos de 1930...morreu cedo de uma crise de asma e deixou minha avó com três filhos pra criar é aí que aumenta suas dificuldades...minha mãe era a mais velha e tinha 8 anos de idade.
Ela morreu há uns vinte anos..mas tenho certeza que esta fazendo rendas no céu! 
Com essa nostalgia montei uma almofada com um picado referente a música e com alguns de seus bilros estou saudando meus antepassados com uma reverência e respeito por viverem uma vida digna e plena!


2 comentários:

Amaya y Haizea disse...

Hola.... precioso!!
besos

ANA MARGARITA CASTRO disse...

que vida tan dura y sacrificada la de tu abuela y que bellos trabajos te dejo, junto a su querido recuerdo, una linda historia de vida, gracias por compartirla amiga, te quiero mucho.